Um dia de cada vez

Acorda bem cedo para cumprir o horário da medicação… O terrível horário da medicação…

Depois o sono lá se vai… E lá vai ela tratar da casa… Arruma um pouco o quarto, a sala e a cozi… Bem… As pernas começaram a fraquejar… É melhor deixar a cozinha para mais tarde…

Nem fez esforço nenhum… Mas as pernas fraquejam… Diz ela que nem consegue explicar a sensação. Ela não sabe bem porquê que isso acontece, mas sabe que acontece a toda a gente na mesma situação dela…

Vai um algum tempo para o sofá ver as notícias… Gosta de se manter atualizada.

Mas estar parada não é para ela. Não! Levanta-se.

Vai espreitar por onde anda o seu braço… A sua avó. Está lá fora no seu mundo… a horta. E bem que merece. Merece tudo na verdade…

Não a incomoda, claro.

Pensa em alguma coisa para fazer… Sabe que deve ficar preferencialmente por casa, portanto… Ler? Estudar? Artesanato?

O corpo diz-lhe que não…

Ela teima… Escrever? Desenhar? Fazer crochê? Ver televisão?

O corpo diz-lhe “deita-te”. Mas ela não o faz!

Vai ler!

E de repente é a hora do almoço… Meio dia já passou… Pensa no que fará durante a tarde.

Vai escrever um pouco… Não sabe bem o quê, mas lá escreve o que lhe vai na alma… ao seu jeito.

Mas a tarde é tão longa… Vai estudar um pouco…

Chega a hora de jantar e está mais um dia a chegar ao fim… Mais um dia passou… Mais um daqueles dias em que o corpo teima em dizer-lhe “não” a tudo.

Mas ela teima que sim… Porque ela precisa de se ocupar… Se não se ocupa tem umas centenas de más memórias para lhe vir à cabeça… Se não se ocupa, vai começar a ficar deprimida… E a porra da depressão volta…

[Quando o corpo teimar em dizer-te “não”, teima também, diz-lhe “sim”… Ocupa essa mente. Ocupa com aquilo que quiseres e puderes (tendo em conta todas as limitações que tens).]

Depois do jantar vai ver a novela “A Herdeira”… Não pode falhar um episódio… É completamente viciada. E ainda bem. Durante a mesma, não há tempo para maus pensamentos.

Hora de dormir. E já começa a pensar no que fará amanhã…

O que ela realmente quer é acordar um dia e ir trabalhar… Porque ela está cheia de ser doente… Está cheia de se sentir incapaz…

Ela quer sair, quer trabalhar e quer continuar a dar conselhos…

Ela quer ser como vocês! Quer ter uma rotina, quer ter um horário a cumprir, sem ser o da medicação…

Mas leva o seu tempo… Ela sabe disso…

Ela tem está ciente de tudo, tudo tudo tudo. Sabe perfeitamente que está impedida de estudar ou trabalhar, até ordem em contrário.

Sabe de cor todas as regras…

Mas há dias em que ela só pensa que é um empecilho… Que só está a dar despesa…

Quem gosta de se sentir assim? 

Ela espera ansiosamente por ter uma vida normal.

Até lá, continuará a ocupar-se com o que surgir… Até lá irá viver um dia de cada vez, irá fazer os possíveis para, apesar de tudo, criar boas memórias, irá aproveitar cada minuto…

Ela chama-se Adriana e manda um beijinho.

2 comentários em “Um dia de cada vez

  1. Sim tudo tem o seu tempo, que já vai indo rápido é claro que para ti não tão rápido.. Olha tu tens cada vez menos limitações 🙏🙏🙏 e até podes fazer tipo uma tabela de tarefas, nas quais incluísse o teu horário de medicação, TV, leitura, passeio fora de casa se as condições do tempo permitirem, fazeres tu o almoço, DESCANSO DIÁRIO, um lanche com a família mais próxima uma vez por semana 😘 acho que vai ajudar meu amor.. Amordemae 💚

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s