Menopausa precoce

Olá, este texto é para todas aquelas jovens que estão em tratamentos ou a passar por esta fase.

Não é uma fase boa, mas se conseguimos ultrapassar os tratamentos, também conseguimos ultrapassar isto!

Sejam positivas! vamos lutar e viver!

Intensamente!

A menopausa precoce é precisamente deixar de ter a menstruação antes do tempo. Segundo os especialistas, é considerada menopausa precoce quando acontece antes dos quarenta anos.

Os sintomas da menopausa precoce são basicamente os mesmos da normal, no entanto, têm um impacto maior pois acontecem mais cedo, causando uma atrofia uro-genital, envelhecimento cutâneo, perda da massa óssea (osteoporose), deterioração vascular e sintomas como os afrontamentos, sudação nocturna, etc.

Tudo isto causará efeitos físicos e psicológicos intensos. Também impossibilita a reprodução.

Muitas jovens pensam que poderão estar grávidas. Por isso, é importante consultar um médico para tirar as dúvidas. Uma vez que o médico descarte a gravidez, confirma-se ou  reconfirma-se a menopausa precoce através de análises hormonais ou de um teste com progestativo.

Com o desenvolvimento da ciência, uma mulher na menopausa pode ter descendência,  submetendo-se a uma fertilização in vitro, com óvulos doados por outra mulher.

Importa também referir que é relevante o factor psicológico, a mulher deve mentalizar-se e estar certa da sua feminilidade e do seu valor.

Nesta situação, as jovens devem evitar desvalorizar-se, pelo que, se tal acontecer, devem consultar um psicólogo ou sexólogo.

Também importa indicar que uma das consequências da menopausa precoce encontra-se na vida sexual. Segundo Mário de Sousa “devido à privação hormonal, que causa uma diminuição de estrogénios e baixa de testosterona, a menopausa precoce vai necessariamente ter reflexos ao nível do desejo e resposta sexual, diminuição da libido, dor na relação e atraso na resposta».

A queda dos estrogénios causa também outros problemas: afrontamentos, sudação, insónia, cansaço, mudanças de humor, irritabilidade e estados semi-depressivos; passados alguns anos, surge uma diminuição da lubrificação vaginal, bucal e ocular. A pele torna-se mais fina, quebradiça e seca; ao fim de cinco anos, surgem sintomas nos ossos, havendo uma perda anual de 3-4% da massa óssea.

Em relação ao tratamento, o mesmo consiste em manter estáveis os níveis hormonais, principalmente de estrogénios, os quais ajudam a evitar problemas de ossos (osteoporose), cardiovasculares, afrontamentos e também a manter a lubrificação vaginal.

“Esta terapia hormonal de substituição é administrada em comprimidos, adesivos ou em gel.”

Relativamente à qualidade de vida, a mesma será igual à de uma mulher na menopausa

É relevante referir que sem estrogénios há uma tendência para aumentar de peso e sofrer perturbações articulares. Pelo que, para o evitar, deve seguir-se um programa de exercícios: aeróbio, anaeróbio, alongamentos, etc.

Quanto à alimentação, a mesma deve acompanhar o tratamento e assenta em quatro pilares: controle do peso; aumento do cálcio; reforço da ingestão de alimentos como leite e derivados, vegetais, cereais e massas integrais, verduras e frutas.

Sousa, M. Lifestyle: Menopausa precoce. (SD). Retirado a 3 de outubro de 2018 de https://lifestyle.sapo.pt/saude/saude-e-medicina/artigos/menopausa-precoce

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s