A parte física

Hoje venho falar um pouco sobre a parte física (Também já abordei este assunto em textos anteriores).

Então… Começo por dizer que durante o internamento o vosso corpo vai mudar. Vão passar muito tempo deitados/ sentados no cadeirão e ocorre uma perda de músculo

Assim, vão sentir depois de algum tempo, alguma fraqueza nos membros… Eu cheguei a sentir inclusive dificuldades na motricidade fina, o que provocou alguma dificuldade em escrever, pegar nos talheres, etc. Houve até uma altura em que tive de pedir ajuda para me alimentar. Por vezes, vão sentir também tremores.

Por isso, recomendo que comecem logo que possam a mexer-se… A fazer pequenos exercícios, a ir para o cadeirão, a dar uma volta pelo quarto, etc. (Apenas nos dias em que os valores o permitirem).

O vosso peso vai variar diariamente… E dependendo de pessoa para pessoa podem vir a aumentar ou diminuir. Também vai depender da alimentação… Eu sempre tive apetite, mas há quem o perca…

O importante no meio disto tudo é que aceitem essas mudanças.

Eu sempre frequentei o ginásio e perdi todo o trabalho feito. O meu corpo mudou, mas aceito-o tal como ficou.

Depois, podem vir a tomar cortisona, o que vai fazer com que a cara inche, tal como a minha.

Mas não se devem sentir mal com isso. Assim como não se devem sentir mal com a perda do cabelo.

As pessoas vão olhar… Vão! Mas e daí? Não se preocupem com a opinião dos outros. Andem em careca, usem lenços, usem perucas, gorros, o que entenderem… O que vos fizer sentir melhor…

Eu andei de lenço e também em careca… 😊

Tenham sempre muita força, pensem sempre no que está por vir… Deus deu-nos esta batalha por algum motivo… Por isso toca a lutar e vencer! 

Beijinhos

Anúncios

Para relembrar

Hoje venho escrever novamente acerca da fase de internamento (Se quiserem ler com mais pormenor, é só procurarem os textos antigos).

Bem, os primeiros meses vão ser muito difíceis… Mas calma! Vão conseguir ultrapassar!

Segundo a minha experiência, a melhor maneira de ultrapassar todo o sofrimento, principalmente a nível psicológico é manterem-se ocupados. Podem fazê-lo das mais diversas maneiras!
Procurem fazer aquelas pequenas coisas que gostavam de fazer no vosso dia-a-dia, mas que por falta de tempo não podiam. Agora têm todo o tempo do mundo!

Falo em ler, escrever um livro/diário, criar um site, costurar, fazer pequenos artesanatos (eu fiz pequenos peluches), ver televisão…
Podem até ir fazendo uma coisa diferente a cada dia…

Ahhh, ocupem-se também com o que têm no hospital… os pedais (sempre que estiverem em condições para pedalar), a ginástica, o reiki…

Aproveitem também para conversar com os familiares e amigos e estabelecer relações fortes com os mesmos. Eu aproximei-me muito da minha família.

Devem ocupar ao máximo a mente!

Eu sei que é muito muito muito difícil… a quimioterapia dá cabo de nós!
Mas têm de ser fortes… e nesses dias lembrem-se que ainda há muito pela frente, ainda há muito para viver!

O melhor está por vir! Depois do transplante a vossa vida muda completamente! Nem se vão conhecer!
Pelo menos aconteceu comigo…

Sejam fortes!
Beijinhos 🙂

Os dias de calor

Ah! Como eu gostava do calor!
Como eu gostava de ir à praia apanhar banhos de sol e dar mergulhos na água salgada!
Como eu gostava de dar uns passeios nesses dias quentes!

Mas tudo isso acabou!
Até quando? Não sei.

A verdade é que depois do transplante tudo muda, meus amigos. A vossa pele (como já falei em textos anteriores) fica muito sensível. Tão sensível que torna-se intolerante ao sol. Segundo a minha experiência, a permanência ao sol e ao calor causa vermelhidões e também o surgimento de pequenas bolhas (mesmo muito pequenas).

Então, resta-nos aproveitar ao máximo as primeiras horas do dia, até às 10h da manhã e o final do dia (já pertinho da noite).

E o que fazer entretanto?

Entretanto, aconselho vivamente a que se mantenham dentro de casa (ou em outro qualquer sítio arejado, sabendo que não devemos frequentar locais públicos) e bebam muita água. Pelo menos um litro e meio por dia.

E para que estes dias não se tornarem um aborrecimento, mantenham-se ocupados de alguma forma, como tenho vindo a escrever.

Dias melhores virão para nós que agora somos uns apreciadores da época fria 🙂
Até lá, acautelem-se!
Beijinhos grandes

 

As minhas dicas de cozinha

Começo por dizer que até ficar doente não me interessava minimamente pela cozinha…

Mas tudo mudou…
Uma nova alimentação… muito exigente…

Agora cozinho todos os dias… e vou partilhar convosco algumas dicas baseadas em tudo o que li sobre cozinha (Sim, tive que ler bastante para aprender a cozinhar…). Atenção que estas dicas serão focadas no eu plano alimentar…

Então… cozinho todo o tipo de carnes e peixe… No entanto, não utilizo qualquer tipo de condimentos comprados no supermercado… Nada de nada…
Utilizo apenas cebola, alho, tomate, pimento e azeite. Também por vezes utilizo salsa e outras ervas aromáticas, em poucas quantidades.
É desta forma que tempero as carnes e peixes.

Depois, relativamente aos acompanhamentos, cozinho massa (que depois de cozida escorro e volto a colocar na panela com um pouco de azeite e alho), arroz e legumes variados (sempre cozidos).

Não como fritos. Por vezes, faço assados no forno (utilizando os mesmos temperos)…
Não, não utilizo sal em absolutamente nada (mas vocês podem colocar um pouco, claro.)
Nem utilizo alimentos crus.

Também cozinho sopa todos os dias… também esta muito simples… Não mais de quatro legumes (variando todos os dias).

Atenção que deve-se ter em conta que quando se come sopa, deve-se comer menos hidratos de carbono no prato principal.

Quanto à sobremesa, fruta cozida (pêra ou maçã). Nesta parte, segundo as minhas leituras deve-se evitar ao máximo os doces.

Trata-se de uma alimentação saudável e fácil de se tornar um hábito.
Experimentem! 🙂

Dia de folga

Não posso trabalhar… não posso ir à escola… Mas também não posso ficar parada, ponto final.
Foi o que decidi.

Aconselho vivamente a que não fiquem parados… Perdem músculos, as pernas começam a falhar… tudo corre mal.

Então, comecem uma nova rotina. Trabalhem em casa, naquilo que bem vos apetecer… Inventem… Mas não abusem. Claro!
Dividam o vosso tempo de modo a ocupar umas sete/oito horas com algo que gostem e façam disso o vosso trabalho… Desde organizar a casa, escrever um livro, fazer roupas em croché, fazer artesanato…
Podem também oferecer-se para ajudar familiares naquilo que precisarem… pequenas coisas, pequenos trabalhos que possam fazer por eles na vossa própria casa (já que têm uma vida com mais responsabilidades que a nossa, mais ocupada…).
Acreditem que vão sentir-se úteis…

Na verdade, digo-vos isto pois é bom manterem a mente ocupada… é mesmo.
Depois de tudo o que passamos, há sempre maus pensamentos que nos vêem à cabeça todos os dias… Por isso, ocupem-se, se faz favor!

Mas não se esqueçam de tirar um dia de folga!
Um dia para relaxar corpo e mente…
Um dia para desconectar do mundo…

(Este texto é para aqueles em que o transplante já ocorreu há mais de seis meses. Pois convém que nos primeiros seis meses haja repouso e isolamento.)

Um beijinho enorme para todos e sejam fortes!

Ser minimalista

Já conhecia o conceito mas nunca o tinha posto em prática.

Na verdade, é muito difícil pensar-se nestas coisas quando se tem uma vida muito ocupada. Mas, por vezes, a vida prega-nos partidas e somos obrigados a parar.

Foi o que me aconteceu…

Aconteceu-me um cancro e a vida parou naquela hora em que o médico disse: “Você tem leucemia”.

Pois bem… ali fiquei naquele hospital, meses e meses a fio. E agora, em casa, outro tanto tempo de recuperação, sem poder estudar nem trabalhar… Como ocupar o tempo?

O corpo parou, já não é o que era… Já não posso exigir dele aquilo que exigia… E, por isso, decidi exigir mais da cabeça… cultivar-me…

Toca a ocupar o tempo com investigações… toca a ler sobre os mais diversos assuntos… E um desses assuntos foi organização.
Toca a organizar a vida.

Sim, hoje venho falar sobre a vida. Sobre a vida minimalista.

Mal tive alta, decidi ocupar-me a organizar a casa. Comecei por colocar de parte tudo aquilo que não era utilizado (livros, roupas, etc.) para donativos. Depois, armário a armário, gaveta a gaveta lá fui eu colocando tudo em ordem… Ficando apenas o estritamente necessário. Em seguida, uma limpeza a fundo… Tudo com muita calma e com todos os cuidados, de modo a não me prejudicar… E, de repente, a casa estava como nunca esteve.

Segundo várias leituras, uma casa limpa e organizada transmite pensamentos positivos… Paz, harmonia…

E, depois de uma casa organizada, também nós, por vezes, precisamos de uma organização… E nada melhor do que uma mudança no visual e de rotina. Ser também minimalista no vestuário e nas nossas acções…
Utilizar roupas simples, apenas de uma cor… Bege, preto e branco, para mim são as cores base. Não utilizar maquilhagem… Ou utilizar apenas rímel.
Também muito importante ter-mos os nossos momentos de relaxamento… desconectar do resto do mundo… Encontrar a paz interior.
A vida não é só trabalho, temos de dar valor às outras coisas… ao lazer, à família… Nada melhor do que ocupar parte do nosso tempo com “os nossos”. Conversar, ajudar naquilo que precisarem, dar uns passeios…

E finalmente, ser minimalista em tudo o resto…

No dia-a-dia poupar energia, poupar água, comprar menos (o estritamente necessário)…

Aconselho vivamente a experimentarem…
(Atenção que eu sei que é difícil para a maioria das pessoas conseguir a organização máxima na sua vida. No entanto, penso que não é impossível. Basta começar aos poucos…)

Como todos já devem ter ouvido, “menos é mais”.

Um beijinho enorme.

 

A luta continua

Antes de mais, peço desculpa por não ter escrito mais nada até ao momento.

A luta continua… Sim, ainda… Mas, mudou muita coisa.

Na verdade, nestes meses de tratamento aconteceram muitas mudanças quer a nível psicológico quer a nível físico. Também houve mudanças na medicação. Sendo estas mudanças normais neste processo.

No entanto, há coisas que ainda se mantêm… Continuo com um plano alimentar exigente e também com uma lista enorme de cuidados a ter (todos aqueles que tenho vindo a partilhar por aqui). É nesta parte que entra também a ocupação do tempo (já que não temos qualquer vacina e não podemos nem frequentar a escola nem ter uma profissão).

Quanto a mim, continuo a ocupar-me da mesma forma… Leitura quer de livros quer de artigos científicos para me manter atualizada, tarefas domésticas, artesanato, etc… E vocês, como ocupam o vosso tempo?

Acreditem que com o passar do tempo, torna-se rotina… tudo fica mais fácil.
Temos de ser fortes!
Beijinhos

Bolos sem açúcar

Bolo de laranja

 Ingredientes:

200 gramas de suco puro e natural de laranja/ 100 ml de azeite extra virgem de oliva/ 300 gramas de passas/ 1 pitada de sal/ 3 colheres (chá) de linhaça dourada/ 200g de farinha de arroz/ 1 colher de sopa de fermento em pó ou de bicarbonato de sódio (preferimos o bicarbonato, pois o fermento para bolo é transgénico actualmente)

Modo de preparação:

1- Triturar a linhaça no liquidificador.

2- Acrescentar à farinha de arroz, mexer e adicionar os outros ingredientes. Deixar as passas e o fermento para último.

3-Untar uma forma e colocar a massa dentro dela.

4-Levar ao forno por cerca de 40 minutos.

 

Pão-de-ló

Ingredientes

3 col.de sopa de farinha de trigo/ 3 col.de café de fermento em pó/ 1 col.de sopa de passas/ 100 mililitros de suco de laranja/ 7 unidade(s) de claras de ovo/ 3 unidade(s) de gema de ovo

Modo de preparação

1- Deixar as passas marinar em 100 ml de suco de laranja por 30 min e bater no liquidificador.

2- Bater as claras em neve e juntar as gemas e o suco batido.

3- Junte a farinha, peneirada com o fermento.

4- Despejar a massa numa forma redonda de aro removível de 20 cm diâmetro untada.

5- Levar ao forno médio por 20 min.

6- Furar com um palito e regar com 100 ml de suco de laranja.

 

Bolo de Cenoura

Ingredientes

3 unidade(s) cenouras de tamanho médio cortada em rodelas/ 2 unidade(s) gemas/ suco de 2 laranjas/ 4 colher(es) de sopa adoçante em pó/ 1 xícara(s) farinha de trigo/ 2 colher(es) de sopa amido de milho/ 1 colher(es) de sopa fermento em pó/ 1/2 xícara(s) de óleo

Modo de preparação

1-Bater no liquidificador as cenouras, as gemas, o suco de laranja e o óleo.

2-Colocar numa bacia todos os ingredientes secos e acrescentar a mistura do liquidificador.

3-Adicionar as claras em neve e levar ao forno pré aquecido por 30 minutos.

Dias de sol

Os dias de sol chegaram e eu só quero voar…

Só quero sair, só quero estar com os meus amigos, só quero ir arranjar o jardim…

Por vezes, apetece-me esquecer tudo, sair porta fora e ser normal…

Mas não posso.

Não posso porque tenho de me proteger… tenho de seguir as indicações à risca… tenho de ser um pau-mandado. Até quando? pergunto-me todos os dias.

Ser um pau-mandado cansa de verdade!
Cumprir tantos cuidados, todos os dias, cansa de verdade!
Estar sempre a pensar neles, cansa de verdade!

E eu estou verdadeiramente cansada de tudo…

Contudo, continuo firme, até ao fim.

Beijocas